Artes Marciais, Lutas ou Esportes de Combate?

Sejam como atividades de lazer, defesa pessoal, prática esportiva ou de promoção da saúde, as Lutas, Artes Marciais e Esportes de Combate ganham cada vez mais espaço em academias, clubes, escolas, associações comunitárias e outros ambientes.

Como o foco do site é falar da Psicologia do Esporte aplicada às Artes Marciais e Modalidades de Combate, nada seria mais justo do que conhecer um pouco melhor os termos e essas modalidades. Afinal, cada uma tem suas especificidades e demandas.

Boa leitura!

Breve histórico das Lutas e Artes Marciais

É difícil precisar em qual momento da história da humanidade as Lutas surgiram. Entretanto, é consenso entre pesquisadores que a luta pela pela sobrevivência advém desde a Pré-História. Seja para fins de caça, disputa de território, garantir a segurança ou a reprodução dos seres humanos.

Lutar é um ato universal dos humanos e também de outros primatas” – Leandro Paiva

Ao longo do tempo e do desenvolver da História da Humanidade, pôde-se perceber o surgimento e o aprimoramento das formas de luta e técnicas, tais como:

  • o Pancrácio, modalidade grega presente nos Jogos Olímpicos da Antiguidade;
  • o gladiadores de Roma, que usavam diversas técnicas de lutas a dois;
  • o Dambe na Nigéria; entre outras…
Artes Marciais

Escultura retratando o Pancrácio da Grécia Antiga.

No Oriente, mais especificamente Índia e China, surgiram formas organizadas de combate que remontam o século V a.C. A medida em que a civilização se desenvolvia, principalmente através do desenvolvimento da agricultura, evidenciou-se uma necessidade de expansão. Riqueza e poder abriram espaço para a profissionalização da proteção pessoal.

Para isso, temos dois termos para se referir a essas práticas:

  • O termo “Arte Marcial”, popular no Ocidente, que remonta ao deus Marte dos romanos (Áres dos gregos);
  • Wushu/Bujustsu (武術), surgido no Oriente, que carrega em si a ideia de “Arte da Guerra” e de conhecimentos militares.

Apesar da diversidade de Artes Marciais e Esportes de Combate, evidencia-se que grande parte delas se iniciaram a partir da necessidade de sobrevivência e supremacia militar.

Porém, com o avanço tecnológico, o combate corpo a corpo foi perdendo seu espaço e importância. As armas de fogo e a pólvora tomaram as rédeas, transformando as disputas e guerras em formas cada vez mais sofisticadas (e também brutais). Épocas de “paz e prosperidade”, ou melhor, de desenvolvimento sócio-cultural, também influeciaram nesse fenômeno de moficação das técnicas de guerra.

De “artes da guerra”, a estrutura de muitas delas foram modificadas para “arte da paz”, cujo foco basicamente se dá na disciplina e caráter. Isso também abriu espaço para as formas esportivizades e o surgimento de novas modalidades de combate.

Artes Marciais, Lutas e Esportes de Combate: definição e diferenças

Primeiro, é preciso ressaltar que não há um consenso entre estudiosos sobre as terminologias utilizadas. O entendimento varia de acordo com o referencial teórico escolhido. Por isso, a decisão aqui foi apenas a de tornar o texto mais didático possível.

Antes de apontar as diferenças, é interessante notar que existem algumas semelhanças entre as Lutas, Artes Marciais e Esportes de Combate:

  • São práticas que pertencem à cultura corporal, isto é, têm uma história de relação com a própria história da humanidade e com a cultura humana.
  • As Artes Marciais e Esportes de Combate (AM/EC) têm em comum os exercícios e dinâmicas de ataque ao corpo do adversário.

Pois bem, mas vamos para as definições:

Lutas:

“Luta” é um termo muito amplo, de dimensão variada. Porém, sempre parte da ideia de conflito.

Artes Marciais

Segundo alguns autores, o Dambe da Nigéria ou a Capoeira do Brasil seriam exemplos de Lutas

De modo geral, as lutas são jogos regidos pela lógica da oposição, ou seja, do combate corpo a corpo entre duas ou mais pessoas. Possuem como características específicas: o ataque a qualquer momento, ataque e defesa (fusão), possibilidade de ataque simultâneo ou mútuo.

Há uma variedade de estilos, com diversas regras e técnicas.

Artes Marciais (AM):

Quando se fala em Artes Marciais, é comum associá-las aos seguintes aspectos:

  1. Defesa pessoal;
  2. Práticas de guerra;
  3. Filosofia de Vida.

Como já foi dito, no Oriente (China e Japão) os termos Wushu / Bujutsu foram usados para se referir as técnicas de combate ligadas à guerra. Na cultura ocidental, o termo “marcial” se origina na mitologia romana, remetendo ao deus da guerra: Marte. Já a ideia de “arte”  possui um sentido de “habilidade”ou de “técnica”.

Falar de Artes Marciais, de modo bem geral, é falar de práticas que derivam de técnicas de guerra. No entanto, sabe-se que nem todas elas derivaram da necessidade de guerrear e conquistar territórios. Muitas delas se originaram em detrimento de necessidades religiosas ou culturais.

Pode-se dizer que as Artes Marciais são atividades de combate relacionadas ao regionalismo, valores culturais ou a um estilo de vida. Há forte influência cultural e/ou religiosa e étnica, podendo atuar nas esferas: física, psíquica, social e espiritual.

 

artes marciais

Kyudo (弓道) – arte marcial japonesa do tiro com arco

As dimensões éticas e estéticas das também são muito destacadas. Os exemplos bastante populares entre o público são o Kung Fu (Wushu) e o Karatê.

Muitos estilos de Artes Marciais possuem baixo grau de competitividade, como o Aikido. Além disso, nem toda Arte Marcial possui combate corpo a corpo, tais como o Iai do, o Kyudo, entre outras.

Modalidades de Combate ou Esportes de Combate (MC / EC):

Também conhecidas como Modalidades Esportivas de Combate, são formas “esportivizadas” das lutas e artes marciais, cujo objetivo principal é simular, em parte, os combates corpo a corpo “verdadeiros”.

A partir do século XX, elas passam a se tornar mais conhecidas e estruturadas, inclusive a se inserir nos Jogos Olímpicos.

artes marciais

Boxe – modalidade olímpica

As Modalidades de Combate devem ser regidas por entidades ou instituições reguladoras (federações, ligas etc). São constituídas por campeonatos / eventos com regras que visam garantir a integridade física dos participantes, ranking e pódios.

Nas Modalidades Esportivas de Combate fala-se, então, em alto rendimento, em preparação física etc. Também busca-se a esportividade, ou seja, o jogo limpo e o respeito. Apesar disso, elas não são necessariamente dotadas de uma “filosofia” ou ética.

Vale lembrar ainda que para muitos autores essa divisão não existe: uma Modalidade de Combate pode ser uma Arte Marcial e vice-versa.

Sobre as modalidades e estilos

O mínimo de conhecimento acerca de uma ou mais modalidades de AM e MC é importante para conhecer seus benefícios (físicos, cognitivos, afetivos etc), seu valor pedagógico e suas particularidades.

Claro que existe uma enorme variadade, sendo uma tarefa hercúlea abarcar todas. É preferível trazer algumas modalidades e estilos mais conhecidos ou acessíveis.

Assim, podemos elencar algumas:

  • Kung Fu
  • Tai Chi Chuan
  • Sanda
  • Shuai Jiao
  • Karate
  • Aikido
  • Kendo
  • Iaido
  • Judo
  • Jiu-Jitsu
  • Hapkido
  • Taekwondo
  • Muay Thai
  • Capoeira
  • Boxe
  • Savate
  • Krav Maga
  • Wrestling
  • MMA

Inclusive, elas serão abordadas com na categoria “Modalidades” do Mente Guerreira. Fique de olho! 

Recapitulando

  • Lutar é algo que faz parte da história humana;
  • Não é errado dizer que muitas formas de Artes Marciais tiveram sua origem em fins de guerra;
  • Hoje em dia associam-se as Artes Marciais com a ideia de: técnicas + conhecimento filosófico + princípios;
  • A maioria das Modalidades de Combate (MC) são formas “esportivizadas” das lutas e artes marciais;
  • Busca-se nas MCs a esportividade, o jogo limpo e o respeito;
  • É importante conhecer os benefícios (físicos, cognitivos, afetivos), o valor pedagógico e as particularidades das Artes Marciais e Modalidades de Combate.

Referências

ANTUNES, Marcelo Moreira; IWANAGA, Carla Carvalho. Aspectos Multidisciplinares das Artes Marciais. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

PAIVA, Leandro. Olhar clínico nas Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate. Manaus: OMP Editora, 2015.

RUFINO, Luiz Gustavo Bonatto; DARIDO, Suraya Cristina. Lutas, artes marciais e modalidades esportivas de combate: uma questão de terminologia. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires – Año 16 – Nº 158. 2011. Disponível em: Efdeportes.com.

4 comentários em “Artes Marciais, Lutas ou Esportes de Combate?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *