Campanha Janeiro Branco

Janeiro é o mês dedicado a divulgação e conscientização dos cuidados com a Saúde Mental, também conhecido como Janeiro Branco.

Enfim, quando se fala de saúde mental ou de ir ao psicólogo, a maioria imagina o clássico cenário de um Hospital Psiquiátrico e responde com veemência: eu não sou louco!

Mas calma, é preciso explicar que a coisa é diferente (e que o buraco é mais em baixo)…

Sobre a campanha

A campanha Janeiro Branco existe desde 2014, criada em Minas Gerais, com o intuito de colocar em voga os temas do adoecimento emocional e Saúde Mental.

Por que é relevante falar disso? Bem, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que:

  • Cerca de 33% da população mundial sofre de ansiedade;
  • O Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade (23, 9,3% dos brasileiros);
  • A Depressão atinge cerca de 322 milhões de pessoas no mundo;
  • No Brasil, por volta de 5,8% da população sofre com a depressão.

Os dados são alarmantes, certo? Viram como é absolutamente necessário falar de Saúde Mental no Brasil?

Por isso, a campanha Janeiro Branco convida as pessoas a pensarem sobre suas vidas, sobre o seu sentido e o propósito, sobre seus valores. A pensarem sobre sua saúde emocional. A pensarem e repensarem sobre seus relacionamentos (e a qualidade deles), sobre suas atitudes, comportamentos e também a conhecerem a si mesmas.

Mente sã, corpo são

Muito se fala sobre os cuidados com o corpo, sobre ter uma alimentação balanceada e um estilo de vida saudável. Praticar exercícios físicos, ter uma rotina e tudo mais. Mas e da “cabeça”, alguém fala?

 

Ok, mas o que a campanha tem a ver com praticantes de artes marciais ou lutadores? Com atletas ou não atletas? A resposta é: basicamente tudo. Pois a relação mente e corpo é muito estreita e para quem treina uma luta ou arte marcial, seja profissional ou por hobby, cuidar dessa relação é imprescindível. Aquilo que pensamentos e sentimos também é expresso fisiologicamente (corporalmente).

Por isso, cuidar de si não envolve somente aprender uma técnica nova, ganhar um campeonato ou chegar a faixa preta. Envolve também, nesse processo, cuidar das próprias emoções e pensamentos. Isso é saúde e qualidade de vida.

Ou seja, saúde depende de bem-estar físico e emocional. É um estado de bem-estar, de realizar suas próprias habilidades, de conseguir lidar com os obstáculos e tensões normais do cotidiano, exercer suas tarefas de forma produtiva e contribuir com o ambiente ao seu redor. Sim, isso é saúde.

Então, não vale a pena esperar até o seu “mundo ruir”, “ficar sem chão” ou sem saída. Não! Há profissionais que podem ajudar. Aliás, não é necessário ter problemas para procurar um profissional psicólogo – um pouquinho de interesse em desenvolvimento, seja para uma carreira esportiva ou para auto-desenvolvimento.

O trabalho do psicólogo está, acima de tudo, em auxiliar no bem-estar e no desenvolvimento pessoal dos sujeitos – seja na clínica ou no esporte (ou em qualquer outra área). Como dizem: é melhor prevenir do que remediar.

Links úteis

Centro de Valorização da Vida – CVV

Campanha Janeiro Branco

 

Caso tenha alguma dúvida ou ou esteja a procura de uma orientação personalizada, sinta-se livre para entrar em contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *